quinta-feira, 1 de maio de 2008

Mon enfer et mon paradis

Meu humor se divide basicamente em dois tipos de dia:

aqueles em que tudo vai dar certo, vou passar no vestibular, tocar, sei lá, na Sinfônica Municipal, viajar para a Alemanha, ter um apartamento aconchegante e cheio de quadros em São Paulo - nos Jardins, talvez -, tempo de sobra pra pintar, dançar, cantar, ler e escrever, ser melhor que Jean Pierre Rampal antes dos 40 e dar masterclasses para jovens músicos;

aqueles em que sou uma inútil: se tenho algum talento, ele é totalmente desperdiçado e as coisas não têm motivo algum para dar certo pra mim, por quê eu, a poor silly girl, haveria de pensar em tal coisa?!, vou bombar no vestibular, ficar dormindo um ano inteirinho, estudando pouco - logo, tocando mal -, acabar trabalhando em qualquer coisa que não seja música e contar, velhinha, para meus netinhos que um dia - oh sim, um dia...! - quis ser flautista.



depois de passar a semana no segundo, finalmente estou no primeiro.

Um comentário:

Camila Ferreira disse...

haiuhaiusohdiu tudo bem, não contarei a ninguém ;) é o nosso segredinho xP
eu sei bem como é isso, quero passar minha vida num apartamento bem europeu com um monte de coisas feitas por mim e tal. mas infelizmente pra chegar no que faz a gente feliz tem que passar pelas coisas chatas, tipo estudar e passar no vestibular. não que isso seja ruim, pq na verdade eu sou apaixonada pela minha futura profissão (Tô em dúvida entre advogada e promotora) mas um dia (se Deus quiser - e ele quer!) vou poder retomar os meus talentos que eu desperdicei na minha fase rebelde sem causa. E ai eu vou poder dançar e tocar piano sem me importar com mais nada (L)

Postar um comentário