domingo, 25 de janeiro de 2009

(do inverno do ano passado)

Sonhara que estava numa grande festa, um tipo de quermesse ao ar livre bem grande, com barraquinhas e apresentações de dança. Estava lá, casada, com marido e duas filhas pequenas de vestido cor-de-rosa que corriam a não muitos metros dela. O marido, de camiseta azul, era um amigo que não via há muito tempo. Ambos tinham a mesma idade de agora. Ele a abraçava enquanto assistiam a qualquer apresentação no palco principal, ao ar livre, e ela se sentia aconchegada e feliz no meio de toda aquela gente.

Acordou ainda sentindo o bem-estar do sonho e se perguntou o dia todo se seria aquilo, como diziam os mais velhos, "ter uma vida estabelecida". Aquele calor aconchegante dos braços do marido - seja quem fosse, pois nunca sentira nada especial pelo amigo do sonho - em volta dela, de ver duas crianças bonitas brincando. Se perguntou se seria essa a mesma alegria.

Passou o dia todo com vontade de se casar.

Um comentário:

Ráffila disse...

Muito bonito esse pequeno texto e muito bem escrito também.Você deveria escrever um conto maior algo com capítulos...eu acompanharia.
bye

Postar um comentário