quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

New year's eve

Inaugurei a década em casa, com pai-mãe-irmã e bolo de chocolate na janela vendo os fogos da Paulista e de outras ruas também. Passado o barulho maior, uma oração bem feita, algumas músicas - afinal, pra que é que se tem músicos na família? - e sossego, sossego. Não que não goste de festas, pessoas ou da casa da vó (onde passamos o Natal). Pois adoro. Mas o que parece é que nesse ano apanhei uma síndrome de Emily Dickinson que fez com que tudo o que eu quisesse para as festas fosse... ficar em casa.

Minha irmã ficou um pouco desapontada, por causa das expectativas (vindas sabe-se lá de onde) de diversão extrema que a passagem de ano costuma trazer. Também me resmungou hoje na volta do supermercado que quando tinha oito anos (tem doze) o Natal era aquela magia e todas essas coisas que pra falar a verdade eu mesma penso até hoje. Mas é natural que certas coisas percam seu encanto, ou pelo menos que o tipo de encanto mude, e pois bem, assim foi: o encanto do meu ano novo foi feito pela própria mana e meus pais, pelo vento com garoa que vinha da janela à meia noite, por poder tocar flauta até tarde porque ninguém dá a mínima, pelo vinho do Porto e pelo nhoque gigante que minha mãe fez.

De resto, vou é jogar Heroes of Might and Magic, que começar a década liquidando Hobgoblins não faz mal é nenhum. Feliz ano novo pra todos!

3 comentários:

Julio disse...

Compreendo sua irmã. :)

Eduardo Chagas disse...

"...Heroes of Might and Magic..."

Fer, vc só faz ganhar pontos! Prosit Neujahr!

Nicolau disse...

E bom ano novo !!

Postar um comentário