terça-feira, 9 de março de 2010

Beauté Parfaite

E acontece que o Institute des Arts de la Barre Funde resolveu demorar horrores pra iniciar o ano letivo. Como sabem meus seguidores (sinto-me até uma agitadora de massas), estou mofando em casa há não pouco tempo, em completos desperation, grief and agony por uma simples aula de História da Música. De Harmonia, Meu Deus. Me dêem dominantes com nona, por tudo o que é mais sagrado!

A semana que passou foi dos calouros (na qual eu, como veterana veterotestamentária caduca e desanimada, dormi e - hmmm, é, só dormi). Essa agora é a tal de Semana Conhecendo-nos - cujo verdadeiro nome é, segundo algumas sagazes línguas, Enrolando-vos -, que só tem um monte de palestras para que todos saibam melhor como funciona o instituto, seus departamentos, a pesquisa, a extensão, oh, esses mundos ainda não desbravados. Meu lado bacana e razoável me obriga a dizer que é uma iniciativa boa ("uma iniciativa", brrr), porque a maioria das pessoas não tem a mínima idéia de que a faculdade não é só um ensino médio 2.0 - não, o fato de você pode sair pra comer hamburger no meio da aula se quiser não é a única diferença. Nem só de aulas viverá o homem &c &c &c. O problema é que na porta do auditório, bem atrás das cortinas vermelhas, há uma infeliz duma lista de presença pros veteranos, que faz com que tenhamos de gastar R$5,30 todos os dias só pra escrever o nome num papel em caneta Bic. E eu nem ao menos gosto de caneta Bic!

Pois hoje fui muito transgressora e dormi o dia todo. A síndrome de Garfield atacou mesmo, umas doze horas seguidas assim do nada. Que mal faz um mísero dia sem assinar a porcaria da lista? Eu já sei como funcionam pesquisa e a extensão e nem precisei de palestra nenhuma. Poderiam ter feito essa coisa na semana dos calouros logo, tempo ia dar. E aí não seríamos provavelmente a única faculdade NO BRASIU cujas aulas não começaram ainda. Aí vem nego me dizer (note como a linguagem vai se degenerando ao longo do post) que ano passado as aulas foram adiadas por causa da gripe suína e todas as matérias conseguiram terminar o conteúdo inteiro mesmo assim. Pois é, conseguiram, mas se não tivesse nenhum adiamento de daria pra ir muito além do maldito conteúdo, ou ter férias mais cedo. Há um desequilíbrio enorme nas datas do início e do fim das férias - elas demoram a chegar e demoram a ir embora. Ok que eu sou meio eremita, mas três meses em casa não dá. Estou a surtar, assim alla portuguesa mesmo. Ao menos hoje um amigo veio me chamar pra participar de um projeto de apresentação comemorando os 600 anos de Johannes Ockeghem - que é pro meio do ano, mas começamos a planejar agora e bom, ao menos um sopro de vida nerd nessa minha cara que agora até óculos tem, pra parecer mais sabida e ficar menos cega.

E falando em Ockeghem e óculos, ontem me dei conta de que semana que vem faço aniversário. Sweet nineteen na quinta-feira, dia dezoito. A OSESP tocará, em minha homenagem, Britten, Barber e Mahler - eu até pedi pro Tortelier colocar o Pahud pra tocar flauta pra mim agora, em vez de em Julho, mas ele disse fez non-non e disse que eu estava ficando mimada demais. Ok então, Tortê. Serei humilde e só direi publicamente que gosto muito, mas muuuito de livros da Penguin, que nem costumam passar de R$30. E daquela coleção de clássicos que a Abril está lançando por R$14,90. E de chá da Tee Gschwendner - vejam só, um pacote é R$20, tem lá no Iguatemi, pertinho. Pois é, sou uma pessoa de gostos modestos. Fico feliz mesmo sem o Pahud pra tocar o concerto do Reinecke e me chamar de ma petite.


Compreendem?

Mas pra terminar mais uma vez o post com uma música (afinal já usei uma imagem e uma palavra completamente sem propósito - veterotestamentária, porque gosto), fiquem aí com o Alla Francesca tocando Beauté Parfaite, balada para três vozes do Antonello de Caserta, diretamente do XV pra vocêissssssh.

7 comentários:

Cami disse...

Eu gosto de comprar livros em inglês (e ultimamente eu tenho comprado vários) pq eles são absurdamente mais baratos que os em português! Assim com o dinheiro que eu compraria 1 livro em português dá pra comprar até 3 em inglês :D Livro é uma coisa que, realmente, vai me levar à falência um dia. Mas eu nem ligo, acho que é um dinheiro bem gasto!

E que coleção é essa da Abril? Não tô sabendo!

Fernanda disse...

Camis, a coleção da Abril é essa: http://veja.abril.com.br/240210/ler-deixar-heranca-p-108.shtml. Pelo que li por aí, as traduções são boas, e a encadernação eu já vi que é bonita, em tecido. Lançaram primeiro Crime e Castigo em dois volumes JUNTOS por r$14,90 e agora se não me engano já saiu o segundo, Madame Bovary.

E de resto, idem. Eu já comprei Persuasion por 7 reais na Cultura - é uma edição Paperback da Dover, bem simples, mas e daí? O que importa é ler.

Gustavo Nagel disse...

O que importa é ler. Também não ligo para edições luxuosas e caras. Os únicos livros da Cosac & Naify que tenho, por exemplo, comprei-os todos em sebos, pela metade, ou menos da metade do preço. É por isso que gosto bastante das Wordsworth Editions, dos Barnes & Noble Classics, da Penguin, da L&PM...

spleenecafe disse...

http://cannibalcuisine.blogspot.com/2010/03/hipster-cat.html
(não resisti a passar esse link)

guilherme disse...

e nem me linkou!

Fernanda disse...

Done! And mp3 is for conformists.

Tanja Krämer disse...

Mas esse carinha é tão guti-guti! :-)

Feliz aniversário, ainda que tardio. :-)

Postar um comentário