quinta-feira, 22 de julho de 2010

O amor da minha vida é uma mistura de Aliocha Karamazov, Príncipe Míchkin e Lord Henry Wotton, só pra começar. E se você já leu algum tanto, sabe da impossibilidade de haver um que seja Míchkin e Wotton ao mesmo tempo.

A impossibilidade de ter realizadas numa só existência todas as vidas ideais (incompatíveis) que passam pela cabeça.

2 comentários:

Tanja K disse...

Olha, primeiro o negócio é ter alguém palpável ao nosso lado. O resto vem por acréscimo, viu? :-)

w disse...

Perdoe a minha brutal ignorância, mas onde (em que livro, quero dizer, não pense bobagem!) encontro esse tal de Lord Henry Wotton? Com tão excelentes companhias (e recomendações), fiquei curioso por conhecer o personagem e a obra em que se insere.

Estou relendo O Idiota agora. Como eu amo e odeio aquele Míchkin!

Postar um comentário