quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Sonatas



Sonatas barrocas sempre fazem bem. Ouça aí a Sonata para flauta e baixo contínuo, HWV 369, de Georg Phillip Handel. Todos os movimentos são ótimos, mas o primeiro é meu favorito. Ouvi pela primeira vez na abertura do filme Sonata de Outono, do Ingmar Bergman, e é muito bonito.

Até hoje só vi dois filmes do Bergman: Saraband e Sonata de Outono, e os dois têm personagens músicos: o primeiro, uma jovem violoncelista, e o segundo uma pianista famosa, já uma senhora. Nos dois, as casas dos personagens são exatamente o tipo de lugar onde eu quero morar um dia: casas aconchegantes em lugares isolados, com livros e instrumentos musicais e bonitas paisagens verdes ao redor. Isso é uma das coisas que mais me intrigam nesses filmes: que em ambientes nos quais eu gostaria tanto de estar, de viver, se passem histórias cheias de tristeza, intriga, ódio, mágoas guardadas e até incesto. No meio de tantas coisas, cores, ambientes bonitos, histórias de relacionamentos familiares tão problemáticos e desgastados.






(Saraband, 2003)




(Sonata de Outono, 1978)

Um comentário:

Tanja Krämer disse...

Acredita que você foi a responsável por uma ótima confusão? Explico. Outro dia, fui pegar um CD emprestado. Pensei ter visto alguma referência positiva sobre ele aqui no seu blog. Peguei, adorei. Quando entrei para agradecer... Cadê que encontrei alguma referência? Que embananação! Mesmo assim, valeu! :-) O CD é bem legal mesmo. Telemann, Bläserkonzerte, Camerata Köln. Vários concertos para instrumentos de sopro.

Postar um comentário