quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Dois dos meus favoritos de Konstantinos Kavafis

Guarda-te, ó espírito meu, contra a pompa e a glória.
E se não podes inibir tuas ambições,
ao menos conquiste-as hesitantemente, com cautela.
E quanto mais alto fores,
mais minucioso e cuidadoso é preciso que sejas.

Quando atingires teu ápice, César enfim -
quando assumires o papel de um tão famoso alguém -
sê especialmente cuidadoso ao ir para fora na rua,
homem extravagante com todo seu séquito,
se um certo Artemídoro
vier a ti do meio da multidão, trazendo uma carta,
e disser apressadamente: "leia isto de uma vez.
Há aí coisas importantes para que vejas",
Certifica-te de parar; certifica-te de adiar
toda fala e negócio; de ignorar
todos os que te saúdam e se inclinam
(estes podem ficar pra depois); que mesmo
o Senado espere - e descobre imediatamente
qual é a mensagem grave que Artemídoro tem para ti.


***


Sem consideração, sem misericórdia ou vergonha,
fortes e altos muros construíram ao meu redor
e agora sento aqui sem esperanças.
Não posso pensar em mais nada: tal destino corrói minha mente -
eu tinha muito a fazer lá fora.
Como pude não notar quando estavam a construir os muros?
Os construtores nunca ouvi, nem um som.
Sem que eu percebesse fecharam-me do mundo de fora.



(as traduções, pobrezinhas e com os pés quebrados, são minhas.)

2 comentários:

Postar um comentário